quarta-feira, 20 de maio de 2020

APRESENTAÇÃO


A Geografia é a ciência que estuda os fenômenos da Terra, relacionando-se com as relações humanas, de natureza e de espaço.

A Internet possibilitou um alcance muito grande a materiais da área. Antes dela, não havia tantas possibilidades de pesquisa, ferramentas e acesso a dados geográficos, ficando as mesmas mais restritas a livros e atlas.

Mesmo que nós não tomamos consciência, a Geografia está presente sempre em nossas vidas. Por exemplo, sempre que vamos visitar alguma cidade, queremos saber a previsão do tempo, ou pesquisar sobre um país para um trabalho de escola, a Geografia está lá, apresentando todos os elementos do espaço vivido por nós, seja global, nacional, regional ou local.

O Projeto Panorama Lavrense, após 13 anos de atuação para Lavras do Sul/RS e região, está disponibilizando este espaço para estudos e divulgação de textos de Geografia geral, de todas as regiões, de forma aberta e gratuita, com o objetivo de ampliar a pesquisa e contribuir para a Geografia desenvolvida na Internet, em nosso Estado e no Brasil.

O autor, Murilo de Carvalho Góes, é Geógrafo Bacharel pela Ulbra (Canoas, Rio Grande do Sul) e Pós-graduado em Tecnologias Digitais aplicadas à Educação pela Uniasselvi  (Indaial, Santa Catarina). Desenvolve uma aliança de atividades de Tecnologia com Geografia sendo  o criador do Panorama Lavrense. Lançou, em 2017, o livro “Internet e Geografia – Aplicações e Desenvolvimento”.

Dito isto, sejam bem-vindos a esta nova etapa. Vamos geografar!

Murilo de Carvalho Góes, maio de 2020.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

TURISMO: Atrações turísticas do RS


O Rio Grande do Sul possui diversas opções de turismo. O Estado recebe todos os anos turistas de diversas partes do Brasil e do Mundo. Confira os atrativos das regiões gaúchas.

a)      Litoral

As praias mais visitadas do Litoral Gaúcho são Tramandaí, Capão da Canoa e Torres (Litoral Norte) e Cassino (Litoral Sul). Torres é famosa por suas falésias (três grandes rochas que ficam junto ao mar, entre elas o morro da Praia da Guarita, que possuem uma altura média de 30 metros).

A Praia do Cassino, nos municípios de Rio Grande e Santa Vitória do Palmar, é considerada, segundo o Livro dos Recordes, a maior praia do mundo, com cerca de 220 km de extensão.

As praias da Costa Doce (Tapes, São Lourenço do Sul e a Praia do Laranjal, em Pelotas) também são bastante procuradas durante o verão.

b)     Serra

Tanto no inverno, quanto no verão, a Serra Gaúcha atrai milhares de turistas.

Gramado e Canela são os principais polos turísticos da Região das Hortênsias. No período natalino, as cidades são bastante decoradas e muitos eventos celebram a data.

No inverno também são bastante visitadas, além de Gramado e Canela, as cidades de São Francisco de Paula (turismo rural), Cambará do Sul, Bom Jesus e São José dos Ausentes (famosas pelo Cânions do Itaimbezinho e Fortaleza - Aparados da Serra -, pelas baixas temperaturas e pelas possibilidades de neve, face às baixas temperaturas.

Outra região serrana bastante visitada é a da Uva e Vinho (conhecida também como a "Pequena Itália", devido à colonização italiana). Esta região compreende Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Farroupilha, Garibaldi, Carlos Barbosa e Monte Belo do Sul. É famosa em todo o Brasil pelas vinícolas e pela Ferrovia do Vinho, trem Maria-Fumaça que conta a história da colonização italiana e passa por diversas paisagens da região.

c)      Noroeste

Os principais pontos turísticos desta região são o Salto do Yucumã (maior queda d'água horizontal do mundo), que localiza na divisa com Santa Catarina e próximo à Argentina; e as ruínas das Missões Jesuíticas de São Miguel das Missões, de valioso patrimônio histórico (é Patrimônio Histórico da Humanidade, segundo a UNESCO).

d)     Sul

Pelotas possui grande patrimônio histórico, arquitetônico e cultural, além de contar com a produção dos tradicionais Doces de Pelotas. Jaguarão também tem importante patrimônio arquitetônico, além de fazer fronteira com a cidade uruguaia de Rio Branco, que apresenta um free-shop com diversas lojas.

Rio Grande, a cidade mais antiga do Estado, possui o Museu Oceanográfico e os molhes da Barra, porta de entrada das embarcações no Estado.

e)      Vales

A colonização alemã é marcante em cidades como Santa Cruz do Sul (famosa pela Oktoberfest) e Teutônia.

f)       Norte e Planalto

Nos municípios como Nova Prata, Marcelino Ramos e Iraí, apresentam águas termais com temperaturas que chegam a 40°C e muitas propriedades medicinais. Soledade é famosa pela fabricação e venda de pedras preciosas. Passo Fundo tem potenciais para ser grande um centro comercial.

g)      Região Central

O turismo paleontológico apresenta grande potencial, com a presença de fósseis de acima de 230 milhões de anos, em cidades como Mata, Agudo, Santa Maria, Candelária e São Pedro do Sul (pertencentes à Rota Paleontológica).

No Vale Vêneto (São João do Polêsine e região da Quarta Colônia), há riqueza cultural influenciada pela colonização italiana.

Ao norte de Santa Maria, localiza-se o viaduto da "Garganta do Diabo", o primeiro viaduto em trecho de serra construído no Rio Grande do Sul.

h)     Pampa Gaúcho

As características originais do gaúcho, o turismo rural e as paisagens diferenciadas são destaque em municípios como Bagé, Lavras do Sul, Caçapava do Sul, Dom Pedrito e São Gabriel.
Santana do Livramento se divide de Rivera (Uruguai) apenas por uma rua, formando a "Fronteira da Paz".

i)        Porto Alegre

Denominada como a "Capital do Mercosul", possui amplas condições de compras, lazer e negócios.
É uma das poucas cidades do mundo que abriga dois campeões mundiais de futebol (Grêmio e Internacional), que são marcas bastante conhecidas ao redor do mundo, face às suas grandezas e histórias no esporte.

A Estação Rodoviária, localizada no Centro Histórico da Capital, pode ser considerada como um “ponto de encontro” do Rio Grande do Sul, servindo de local estratégico para pessoas de todas as regiões gaúchas e de outros Estados brasileiros. O Aeroporto Salgado Filho é um dos maiores do Brasil, em movimentação de passageiros, cargas e estruturas.



domingo, 26 de abril de 2020

MUNICÍPIOS: Conheça as origens do nome dos Municípios da Grande Porto Alegre


A seguir, um material de pesquisa relacionado à origem dos nomes de todos os 34 municípios da Região Metropolitana de Porto Alegre. Confiram.



ALVORADA

O nome do município se origina da prática diária dos habitantes da cidade que acordavam cedo para trabalhar, saindo do município no amanhecer (a expressão “nascer do sol” tem o significado de “alvorada”).

O povoamento da região iniciou em maio de 1776, em sesmarias entregues a João Batista Feijó. O município surgiu pela junção de dois bairros: Passo do Feijó e Passo da Figueira. Alvorada situa-se a 16 km do Centro de Porto Alegre. Originou-se de Viamão.

ARARICÁ

Nome de origem indígena, com o significado de “vale dos papagaios”, e também associado a uma ave colorida verde e azul, que habitava a região (Ararí-CAA, na tradução indígena). O município situa-se entre as encostas do Morro Ferrabraz e o Vale do Rio dos Sinos e é povoado, em sua maioria, por imigrantes alemães. A imigração ocorreu entre 1840 e 1860.

Já teve dois nomes anteriores: Nova Palmeira e Vila João Corrêa. É originado de Sapiranga e Nova Hartz.

ARROIO DOS RATOS

O nome está ligado a um arroio de mesmo nome, que corta o município, e que poderia ter a ocorrência de muitos ratões em seu percurso e lagoas próximas. A formação da cidade, junto ao arroio, ajudou a consolidar o nome do município.

O desenvolvimento do município ocorreu pela existência, no subsolo, de diversas jazidas de carvão mineral, sua extração e industrialização. O município foi desmembrado de São Jerônimo.

CACHOEIRINHA

Originado de Gravataí, seu povoamento começou com a construção de uma estrada que ligava Gravataí a Santo Antônio da Patrulha. As terras da região foram loteadas, dando início à construção de casas às margens da estrada. Ao longo do caminho, havia uma pequena cachoeira, existente a cerca de 3 quilômetros de uma ponte de ferro sobre o Rio Gravataí. Daí a origem do nome do Município.

Atualmente, a referida cachoeira não existe mais, pois foi dinamitada para favorecer a navegação de pequenas embarcações.

CAMPO BOM

Com origens em São Leopoldo e Novo Hamburgo, era vila em 1838 e tem população de descendência predominantemente alemã. As ótimas pastagens da região deram origem ao nome do município, além da abundância de água e solos de excelente qualidade para os bois comandados pelos tropeiros. Emancipou-se em 1959, após ser o 10º Distrito de São Leopoldo. Tem um dos maiores parques industriais da região e tem o cognome de “Pequeno Gigante do Vale”.

CANOAS

Pertencente antes à Gravataí e São Sebastião do Caí, o maior município da região depois de Porto Alegre surgiu a partir da estrada de ferro que ligava Porto Alegre a São Leopoldo (com sua construção iniciada em 1871). A parada da Viação Férrea era utilizada para a construção de canoas a partir de árvores derrubadas na construção da ferrovia, daí a origem do nome do município.
Com um grande parque industrial, é também um centro educacional, militar e comercial da região. A Refinaria Alberto Pasqualini, a Base Aérea e as universidades Ulbra e Unilassale são referências canoenses. Canoas foi emancipada em 27 de junho de 1939.

CAPELA DE SANTANA

Com povoamento ocorrido no século XVIII, na época era o único local povoado na região entre os rios Caí e dos Sinos (já foi denominada “Ilha do Rio dos Sinos” e “Santana do Rio dos Sinos”, que, aliás, tornou-se padroeira).

A Capela de Santa Ana foi descrita pela primeira vez em 1804. A construção, autorizada pelo Bispo do Rio de Janeiro, deu origem ao nome do município.

CHARQUEADAS

O fluxo de gado na região e a atividade de produção de charque deu origem ao nome do município. A atividade do charque foi substituída pela produção mineral no final do século XIX. Originado de São Jerônimo, tem como referência econômica a Aços Finos Piratini, do Grupo Gerdau, instalada em 1962, que duplicou a população local.

DOIS IRMÃOS

Surgido a partir de São Leopoldo, foi inicialmente denominado de “Picada Dois Irmãos”. Já foi chamado também de “Linha Grande de Dois Irmãos”.

Os primeiros imigrantes da região (Pedro Baum e Henrique Baum, que eram irmãos) deram origem ao nome. Há outra versão para o nome do município (dois morros gêmeos ao pé da cidade).
Faz parte, atualmente, da Rota Romântica, passeio turístico que liga São Leopoldo a Canela.

ELDORADO DO SUL

Antigo porto de barcas que iam para Porto Alegre e denominado “Balneário Sans-Souci” ou “Conde”, teve seu primeiro núcleo de moradores a partir da construção da ponte do Rio Jacuí e da BR-116. Emancipou-se de Guaíba.

O nome escolhido para o município, “Eldorado”, é de origem espanhola e significa “Terra do Ouro”, que significa um possível país imaginário da América Meridional, lugar pródigo em delícias e riquezas. Considerava-se que Eldorado do Sul teria estas características.

Foi emancipado em 8 de junho de 1988. Concentra bairros como Itaí, Guaíba City, Medianeira e Guaíba Country Club.

ESTÂNCIA VELHA

Apresenta povoamento antigo, datado de 1788. Seu nome tem origem em uma estância de gado. Várias picadas foram definidas após o desenvolvimento da região do Vale do Rio dos Sinos, entre elas a Picada Estância Velha, do capataz José Antônio de Quadros. O local onde ele residia deu origem ao nome do Município.

ESTEIO

Desmembrado de São Leopoldo, o surgimento de Esteio está ligado ao loteamento de uma fazenda chamada “Areião”.

O nome de Esteio surgiu a partir da sustentação de ponte sobre o Arroio Sapucaia, através de um esteio de madeira de lei, se transformando em referência, onde as pessoas diziam “hoje vou lá, perto da Ponte do Esteio”. Com isso, a cidade passou a ter este nome consagrado. O depósito de esteios (onde atualmente se localiza a Refinaria Alberto Pasqualini) é outra versão de seu nome.
Em junho de 1940, foi lançada a pedra fundamental da Igreja Matriz (Paróquia Imaculado Coração de Maria, a Padroeira do município).

A palavra esteio significa: peça de madeira, ferro, metal ou outro material, que serve para segurar ou escorar alguma coisa.

GLORINHA

Surgiu a partir de casas habitadas por descendentes portugueses, gerando a “Rua da Glória”, que depois deu origem a Paróquia Nossa Senhora da Glória. Daí, aos poucos, foi denominada “Glorinha”.
Cortado ERS-030, antiga ligação de Porto Alegre com o Litoral Norte Gaúcho, há vários sítios no em seu território, desmembrado de Gravataí em 4 de maio de 1988. É o município de menor índice de urbanização da Grande Porto Alegre.

GRAVATAÍ

Surgiu a partir de Porto Alegre, foi fundado em 8 de abril de 1763 e emancipado em 23 de outubro de 1880.

Seu nome (indígena) é originado da abundância de muitos gravatás (gravatá é uma planta muito semelhante ao abacaxi).

As Guerras Guaraníticas causaram confusão entre os colonos açorianos que originalmente seriam assentados nos Sete Povos das Missões. Com isso, tiveram que se deslocar para a atual região de Gravataí. Anteriormente, pode ter sido povoada, por índios guaranis, além de fundarem a Aldeia dos Anjos de Gravataí.

A fábrica da General Motors, instalada no final dos anos 1990, gerou uma grande atração populacional e de geração de empregos ao município.

GUAÍBA

Seu nome surgiu a partir do Lago Guaíba, que o separa de Porto Alegre. A Revolução Farroupilha teve o seu planejamento arquitetado no município. Já foi denominado de “Pedras Brancas”. Foi emancipada em 1926, mas seu povoamento remonta a 1793.

Atualmente, possui logística para empreendimentos de produtos e serviços destinados ao mercado nacional e internacional.

IGREJINHA

É um dos municípios que foram incorporados de forma mais recente à RMPA, no final de 2011.
Os primeiros imigrantes alemães que chegaram à região ergueram uma pequena igreja, sendo um referencial para a população e os viajantes. Daí, o nome do município. É emancipado de Taquara.

IVOTI

O nome tem origem na expressão “Ivoty”, que quer dizer flor. A imigração alemã denominava o município como “Berghanschneiss”, em homenagens ao primeiro morador. A região era bastante florida; com isso foi denominada Bom Jardim, e após, a denominação da língua indígena foi consolidada.

Foi emancipado em 19 de outubro de 1964, através de lei assinada pelo então Governador do Estado, Ildo Meneghetti.

MONTENEGRO

A formação de Montenegro está ligada à presença de paulistas, catarinenses e açorianos, junto às margens do Rio Caí. Os imigrantes alemães também incrementaram a formação da população local.
O município, desmembrado de Triunfo, surgiu por conta de um manto escuro que poderia envolver os morros da região (São João e Montenegro); com isso, os primeiros povoadores deram o nome da localidade de Montenegro, que foi formalizado em 1938.

NOVA HARTZ

Emancipou-se de Sapiranga e Parobé. Tem seu nome em origem na primeira família de imigrantes da região: a Família Hartz (daí seu nome original, a Picada Hartz). As picadas eram caminhos abertos nas matas, pelos colonizadores, em busca de terras férteis para plantações. As lideranças de Picada Hartz apoiavam a sua emancipação, em 11 de julho de 1985, já com o nome de Nova Hartz.

NOVA SANTA RITA

Alemães e portugueses foram os primeiros colonizadores de Nova Santa Rita (que até 1992 pertencia a Canoas). A esposa de um dos proprietários de terras do lugar, que é devota de Santa Rita, construiu uma capela em sua homenagem, dando origem ao nome do município.

NOVO HAMBURGO

Maior cidade colonizada por alemães no Rio Grande do Sul, Novo Hamburgo teve inicialmente as suas terras ocupadas pelos índios charruas e minuanos, além de tentativas (sem resultados) de colonizadores açorianos. A origem de suas terras é de São Leopoldo.

Numa primeira etapa, os alemães fundaram o “Hamburg Berg” (ou Hamburgo Velho). Lá passavam estradas até Porto Alegre, sendo passagem obrigatória. A estrada de ferro construída em 1876 fez deslocar a área comercial da cidade em três quilômetros, dando origem a “New Hamburg”. Com a escolha de São Luiz como padroeiro e a progressão do núcleo mais recente, com isso, Novo Hamburgo passou a receber grandes contingentes populacionais. Hoje, é conhecida como a “Capital Nacional do Calçado” e tem uma população média de 250 mil habitantes.

PAROBÉ

A origem do nome Parobé tem a versão indígena (“Parové” de “Ypa” = lagoa; e “Robé” = amarga; ou seja, “lagoa de água amarga”). Há registros de indígenas e colonizadores luso-brasileiros na região. s colonos alemães chegaram em 1846. O início de Parobé, de fato, aconteceu com o desmembramento de duas fazendas, em 1870. A referência do lugar, na época, era ligada aos nomes das fazendas ali existentes. Porém, em 1904, a estação ferroviária Parobé (em homenagem ao então Secretário de Obras Públicas, José Pereira Parobé, que era o engenheiro responsável pela ferrovia que ligava Novo Hamburgo a Taquara e Canela), deu origem à denominação.

O município é considerado outro importante polo calçadista gaúcho, com fábricas de calçados infantis e tênis. Tem origens em Taquara e Sapiranga.

PORTÃO

O nome do município tem origem em um grande portão que tinha o objetivo que gado ali  criado fugisse; outra versão para o nome é a entrada antiga para Estância Velha, através de um portão, dentro de onde estava instalada a sua zona urbana.

Teve origem a partir de quatro municípios: São Sebastião do Caí, São Leopoldo, Canoas e Estância Velha.

PORTO ALEGRE

Foi um dos quatro primeiros municípios do Rio Grande do Sul.

A chegada de casais de açorianos deu origem ao chamado “Porto dos Casais”, em razão da instalação de um embarcadouro, às margens do Lago Guaíba, dentro de uma sesmaria, comandada por Jerônimo de Ornelas. Transformou-se em sede do Governo da Capitania, um ano após a sua fundação, em 26 de março de 1772.

A origem do nome da Capital Gaúcha gera dúvida. Há historiadores que defendem a tese de ser uma homenagem a uma antiga cidade portuguesa. O pôr do sol do Guaíba e as belezas naturais encontradas pelos colonizadores podem também ter contribuído para a consolidação do nome Porto Alegre.

Com mais de 1,5 milhões de habitantes, tem posição estratégica e meio caminho entre Montevidéu e Buenos Aires e entre São Paulo e Rio de Janeiro, sendo considerado o centro do Mercosul.
A cidade formou uma vasta região metropolitana, a partir de 1973, gerando forte influência nos municípios integrantes.

ROLANTE

Iniciou-se o povoamento em 1888, onde pertencia a Santo Antônio da Patrulha. Historiadores explicam que o arroio que divide o município com a vizinha Santo Antônio tinha uma velocidade violenta de sua correnteza no período das cheias, “levando tudo de ‘roldão’”. Fazia parte da rota dos tropeiros que transportavam gado do Rio Grande do Sul a São Paulo.

SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA

Um dos quatro primeiros municípios gaúchos.

Há duas versões para o surgimento de seu nome: a primeira remete a um casal (soldado de guarda e uma moça de família nobre). O pai da moça era contra o casamento, mas a mesma fez uma promessa a Santo Antônio para a construção de uma capela em homenagem ao mesmo. Outra versão é relacionada a presença de um guarda que cobrava os impostos dos tropeiros que passavam por ali.
Em 1857, toda a sua faixa litorânea foi repassada a Conceição do Arroio (atual Osório). A construção da Freeway, nos anos 1970, modificou o trajeto ao litoral (que era até então realizado pela ERS-030, rodovia que cortava a zona urbana), fazendo com que o comércio perdesse força, redirecionando assim a sua economia.

Até os anos 1980, era sede da Açúcar Gaúcho S.A. (AGASA), empresa estatal baseada na produção de derivados da cana-de-açúcar. Mesmo pertencente à Grande Porto Alegre, é um marco simbólico de referência de proximidade das praias gaúchas, com morros e a Lagoa dos Barros.

SÃO JERÔNIMO

Antigamente era denominado “Passo das Tropas“. O encontro de uma imagem de São Jerônimo em uma embarcação ancorada em uma praia local consolidou o nome do município.

A maioria de seus habitantes são de origem portuguesa e brasileira. O Cerro Quitéria, localizado no extremo sul do município, é o ponto mais elevado das Serras do Sudeste (ou Escudo Sul Rio Grandense), com 601 metros acima do nível do mar

SÃO LEOPOLDO

Fundado através da Real Feitoria do Linho Cânhamo, com a chegada de 39 imigrantes alemães, era um importante celeiro de produtos agrícolas e ponto de criação de gado com destino ao abastecimento em Porto Alegre (que é o seu município de origem).

Ocupava um extenso território, abrangendo locais que atualmente pertencem a municípios como Sapucaia do Sul, Caxias do Sul, Taquara e Montenegro. A ponte sobre o Rio dos Sinos, no século XIX, melhorou o desenvolvimento da cidade, cuja origem está ligada ao início da colonização alemã, em 1824. O nome é uma homenagem à Imperatriz Leopoldina. Já foi denominada também “Colônia Alemã de São Leopoldo”.

SÃO SEBASTIÃO DO CAÍ

Cidade com grande concentração industrial, era antes conhecida como “Porto do Guimarães”, consolidou como seu padroeiro São Sebastião, acrescentando o “do Caí” ao nome, a fim de evitar confusões com outros municípios brasileiros de mesmo nome. Índios tupi-guaranis colonizadores açorianos e alemães são as principais etnias formadoras do município. Originou-se de São Leopoldo.

SAPIRANGA

A origem do nome talvez seja “Yssá” = Haste, “Piranga” = vermelho, ou “Sá” = olho, “Piranga” = vermelho. Também tem origem na abundância do araçá-vermelho (ou araçá-piranga) na região.
Assim como outros municípios do Vale dos Sinos, Sapiranga cresceu economicamente de uma grande forma, através da indústria de calçados. Surgiu a partir de Taquara e São Leopoldo e tornou-se município em 28 de fevereiro de 1955.

A Revolta dos Muckers, onde religiosos fanáticos eram liderados por “Jacobina”, em um local junto ao Morro Ferrabrás, foi um dos grandes fatos do município em sua história.


SAPUCAIA DO SUL

Foi o 7º Distrito de São Leopoldo e sua emancipação ocorreu em 20 de agosto de 1961. Alguns historiadores acreditam que o nome sapucaia tinha origem na grande quantidade de árvores da espécie sapucaia. A vinda de aves que eram atraídas pelos frutos silvestres das árvores da região, denominadas pelos indígenas de “Sapu” = pássaro conirrostro (tipo de ave que possui o bico curto e cônico, por exemplo, os pardais; sua alimentação é baseada em grãos).

Desde 1962, abriga o Parque Zoológico do Rio Grande do Sul, na divisa com São Leopoldo, referência do município no Brasil e América do Sul. Apresenta importantes indústrias de bebidas, produção de derivados de lã e outras.

TAQUARA

Nome de origem na vegetação terrestre cerrada de bambus silvestres, denominados de taquaras, nas margens do Rio dos Sinos.

Com a chegada dos imigrantes, em 1846, apresenta indústrias, sede de redes de lojas e a preservação de sua cultura alemã (influência na alimentação, nos costumes e estilos de vida).

TRIUNFO

É cidade histórica e, ao mesmo tempo, marcada pela implantação do Polo Petroquímico. A origem de seu nome é relacionada ao surgimento da povoação de Nossa Senhora do Bom Jesus do Triunfo.
Sua povoação deu origem à elevação como freguesia, em 1754. Originou-se dos municípios de Porto Alegre e Rio Pardo.

VIAMÃO

No século XVIII, o Rio Grande do Sul deixou de ser passagem entre Laguna (Santa Catarina) e Colonia Del Sacramento, no Uruguay. Já havia colonização e os imigrantes já se fixavam nas terras gaúchas, face à riqueza dos campos. O atual município de Viamão já era habitado em 1725. A fundação ocorreu em 14 de setembro de 1741, a partir do surgimento da Capela Nossa Senhora da Conceição, e foi um dos primeiros núcleos de povoamento do Estado.

Há quatro teorias para o surgimento do nome: uma delas é a que dizia que em certos pontos junto ao Lago Guaíba era possível observar os seus principais afluentes formadores (os rios Jacui´, dos Sinos, Gravataí, Caí e Taquari), que poderiam ser semelhantes a uma mão espalmada, dando origem a frase “Vi a mão”; a segunda hipótese é relacionada ao nome “Ibia-mão”, fazendo referência a existência de pássaros (“Terras de Ibias”, onde Ibias seriam os pássaros); a terceira seria um associação a uma passagem entre montes (chamada de “via-monte”. E a quarta teoria sugere uma relação com a província de Guimarães, em Portugal (Viamara).

Viamão era sede do Governo Provincial até 1773, quando a sede foi transferida para Porto Alegre.

BIBLIOGRAFIA E SITES CONSULTADOS

CHERINI, Giovani. Município: teu Nome é um Sucesso. Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, 2001.
Wikipédia. https://pt.wikipedia.org/, acessado em: 26 abr. 2020.
Dicionário Online de Português. https://www.dicio.com.br/

AddToAny